Blog Machine agora é Orbit Web

Tempo de leitura: 3 minutos

O motivo

Como tudo no universo, a empresa Blog Machine mudou, cresceu, evoluiu em muitos aspectos, e com o passar dos anos, foi aos poucos mudando o foco de criar conteúdo sobre marketing digital e desenvolver pequenos blogs, para desenvolver sites, e-commerces e portais de grandes empresas.

Levando em conta essa mudança no foco das nossas atividades, consideramos que o nome “Blog Machine” já não fazia jus a todo o trabalho que vinhamos desenvolvendo.

Cheguei então a conclusão de que uma mudança de nome era justa e necessária. (cheguei a essa conclusão enquanto comia um legítimo bauru, na Av. Paulista com meu amigo e cliente Felipe, da ACE). A questão era, e o novo nome? Blog Machine deixaria de existir?

A nova marca

Após ponderar algumas opções, optamos por Orbit Web. A ideia da órbita, do espaço – além de ser uma referência nerd que não poderia ficar de fora – trás também a sensação da grandiosidade que o ambiente online tem: a infinidade de sites que existem, e que ainda vão existir.

Respondendo a segunda pergunta, o nome Blog Machine não deixará de existir. Ainda vamos continuar usando esse nome para um produto nosso, o desenvolvimento de blogs 🙂

Nosso novo site já está no ar, acesse e peça um orçamento! Está na hora de colocar a sua empresa na órbita da internet 😉

 


The motivation

Like everything in the universe, the Blog Machine company changed, grew, evolved in many ways, and over the years, it gradually shifted its focus from creating digital marketing content and developing small blogs to developing websites, e-commerces, and portals for large companies.

Taking into account this change in the focus of our activities, we considered that the name “Blog Machine” was no longer worthy of all the work we had been doing.

I came to the conclusion that a change of name was just and necessary. (I came to this conclusion while eating a legitimate bauru, on Avenida Paulista with my friend and client Felipe, ACE). The question was, and the new name? Blog Machine would cease to exist?

The new brand

After thinking about some options, we opted for Orbit Web. The idea of ​​orbit, of space – besides being a nerd reference that could not be left out – also brings the sense of the grandeur that the online environment has: the plethora of sites that exist, and those still to be created.

Answering the second question, the Blog Machine name will still be used. We will still continue to use this name for one of our products, the development of blogs 🙂

Our new website is already live, access and ask for a quote! It’s time to put your company in the orbit of the internet 😉

Crie formulários que convertem pelo engajamento

Tempo de leitura: 5 minutos

Seu site precisa de formulários que convertem!

Veja erros comuns que cometemos e como concerta-los para criar formulários que convertem.

Não importa se é em um cadastro, um formulário multi-step, ou apenas um formulário monótono de contato. Em todo produto digital os formulários são uma das partes mais importantes.

Neste artigo vou te mostrar o que fazer para evitar 15 erros bobos, e aumentar ainda mais a taxa de conversão dos seus formulários.

Importante: lembre-se de que toda regra tem a sua exceção, e que não existe bala de prata.

Com introdução feita e avisos dados, vamos ao que interessa!

#1 – Formulários devem ter uma coluna

Formulários que convertem dica 1

Múltiplas colunas tiram a atenção do usuário. O ideal é que ele não precise mudar o seu foco na página para continuar preenchendo o formulário.

#2 – Coloque as etiquetas acima do campo

Formulários que convertem dica 2

Mesmo princípio da dica 1. Usuários preenchem mais rápido quando precisam enxergar apenas o que está na vertical. Além disso, formulários com etiquetas acima dos formulários se adaptam muito bem no mobile.

#3 – Agrupe as etiquetas perto dos seus campos

Formulários que convertem dica 3

Coloque a etiqueta e o campo perto um do outro, e preste atenção na distância entre o próximo campo, para que os usuários não se confundam.

#4 – Evite colocar todas as letras maiúsculas

Formulários que convertem dica 4

Textos com todas as letras maiúsculas são mais difíceis de se “escanear” com o olho. Deixe as maiúsculas para a CTA, como falamos neste artigo.

#5 – Mostre todas as opções (se forem menos de 6)

Formulários que convertem dica 5

Colocar opções em drop-down requer dois cliques, além de esconder as opções do usuário até que ele clique ali. Use um seletor apenas se forem mais do que 5 opções. Com mais de 20, considere também usar um campo de busca para facilitar a seleção.

#6 – Não use o placeholder como etiqueta

Formulários que convertem dica 6

É tentador usar placeholder’s para economizar espaço e linhas de código, eu sei 🙁 Mas isso causa vários problemas de usabilidades, que foram bem apontados pela Katir Sherwin, neste artigo.

#7 – Coloque radios e checkbox embaixo um do outro

Formulários que convertem dica 7

Isso também ajuda bastante para que o usuário escaneie melhor a página.

#8 – Deixe claro na sua CTA o que o usuário deve fazer

Formulários que convertem dica 8

Mais uma dica que já falamos por aqui. O usuário tem que saber o que fazer quando bate o olho no seu formulário. Use frases como “Quero me cadastrar”, ou “Quero meu e-book” ao invés do simples e batido “enviar”.

#9 – Deixe bem claro no que o usuário errou

Formulários que convertem dica 9

Mostre ao usuário onde ele exatamente errou, e fale pra ele o porquê.

#10 – Não esconda o texto de ajuda

Formulários que convertem dica 10

Mostre a ajuda básica sempre que possível. Se a mensagem de ajuda precisar ser maior, tente fazer com que ela apareça pelo menos no momento em que o usuário começa a digitar no campo.

#11 – Diferencie as ações primárias das secundárias

Formulários que convertem dica 11

Mais uma vez, deixe bem claro onde o usuário deve clicar. E pense muito bem se deve mesmo colocar uma segunda opção. Quase sempre CTA’s funcionam melhor quando são a única opção para o usuário.

#12 – Use o tamanho dos campos como uma dica

Formulários que convertem dica 12

O tamanho do campo faz o usuário ter uma ideia do tamanho da resposta. Sempre que a resposta for curta, deixe isso claro. Essa dica pode ajudar em campos de CEP, telefone, etc.

#13 – Não use *, avise apenas o que não precisa ser preenchido

Formulários que convertem dica 13

É mais fácil marcar o que é minoria. E a usabilidade fica mais fácil para usuários leigos, que não conhecem o significado do sinal (*).

#14 – Agrupe informações semelhantes

Formulários que convertem dica 14

Usuários pensam em lotes, e formulários longos sempre são cansativos. Criando grupos por associação lógica você libera um pouco dessa “pressão” do usuário. Mas lembre-se sempre de pensar se precisa daquele monte de campos mesmo.

#15 – Por que perguntar?

Omita campos opcionais e pense em outras formas de coletar esses dados. Ou melhor, pense se precisa mesmo dessa informação.

A entrada de dados está sendo muito automatizada. Por exemplo, celulares e os tão falados wearables coletam toneladas de dados sem o usuário nem estar percebendo. Pense em formas de levar seu negócio para as redes sociais, SMS, coletar os dados em uma pesquisa por e-mail depois, geolocalização…

Tudo depende da sua imaginação e capacidade de correr atrás de novas soluções 🙂

Concluindo , faça isso ser divertido

Aqui vai uma dica extra: é piegas, é brega, mas é verdade. A vida é curta.

Ninguém quer perder muito tempo preenchendo formulários (por isso que seus formulários longos não convertem bem, né?).

Seja criativo. Seja engraçado (mas não force a barra). Engaje o usuário aos poucos. Essa é a regra para se criar formulários que convertem.

Você precisa criar uma emoção e uma ligação positiva da sua marca com o seu usuário. Se você fizer isso corretamente, sua conversão vai aumentar.

Siga as regras, mas não se atenha demais à elas. Faça o que for melhor pro seu negócio.

Se esse artigo te ajudou de alguma forma, curta, compartilhe e se inscreva na lista VIP do Blog Machine, pretendo continuar trazendo conteúdos como esse para você. Um grande abraço!

Referências:

Esse artigo foi traduzido e adaptado para português do maravilhoso artigo de Andrew Coyle. Você pode acessar o artigo original neste link.

Vale a pena criar um blog pro meu negócio?

Tempo de leitura: 3 minutos

E ai, será que preciso criar um blog?

Nos últimos anos, tem se falado muito no “buzz” que um blog pode causar. Você já deve ter ouvido falar sobre isso, bastante até. Mas, talvez você ainda não tenha se convencido de que vale a pena criar um blog para o seu negócio (ou começar um negócio através de um blog, por que não? :p).

Se você ainda não se convenceu de que criar um blog pode realmente ajudar no seu negócio, neste artigo vou tentar te mostrar que vale a pena. Se já está convencido, vamos reafirmar essa certeza!

Como todo negócio, pra um blog dar certo é preciso muito comprometimento. Um blog requer esforço. Você só consegue tirar algo do seu blog depois de você colocar algo nele.

Uma coisa é certa: blog não é bala de prata, ele pode tanto decolar quanto atrasar seu negócio se não for feito da maneira certa.

A grande vantagem

A maior vantagem que um blog pode levar para o seu negócio é trazer seus clientes pra perto de você. Quando você se comunica através de um blog, você está construindo um relacionamento. Seus visitantes vão se tornar familiarizados com o seu negócio, e será muito mais provável que comprem de você. Se você jogar as cartas certas, seu blog pode começar a vender pra você.

Blog vs Marketing tradicional

O poder de um blog do seu negócio comparado com o marketing tradicional é estrondoso. Já falamos aqui que é MUITO mais eficiente falar com o seu cliente, do que falar sobre o seu produto, e um blog faz isso.

Seus possíveis clientes não vão estar interessados em quanto seu produto é maravilhoso, se eles não confiarem em você.

Tenha um diferencial

O seu blog pode (e vai!) fazer você se diferenciar dos seus competidores. O simples fato de você tirar um tempo periodicamente para escrever para seus clientes, vai fazer eles interagirem com você. E essa interação é o que você precisa pra começar a vender, é uma relação de ganha-ganha.

Seus clientes ganham porque passam a conhecer melhor o seu negócio e a saberem que você tem a expertise necessária pra ajudar eles. E você ganha o feedback, as indicações, o reconhecimento pelo que você sabe.

Concluindo

Existem milhões de blogs no mundo, mas boa parte deles são insignificantes. E o que faz um blog se tornar insignificante ou se tornar um sucesso? O seu nível de comprometimento.

Só depende de você! Se está interessado em começar um blog, recomendo ler mais alguns artigos aqui do Blog Machine:

Deixe a sua opinião e a sua maior dúvida nos comentários, vou me basear no seu comentário para escrever o próximo artigo.

E se quiser uma ajuda profissional, dê uma olhadinha aqui! Eu posso te ajudar 🙂

Grande abraço!

Como escolher o nicho perfeito para o meu blog?

Tempo de leitura: 6 minutos

Achar o nicho certo é crucial

Alguém vai ler o conteúdo que eu crio?

Essa é uma pergunta assustadora, porém MUITO importante. Se você está comprometido em criar um blog de qualidade e lucrativo, terá que ler, escrever e falar sobre seu nicho muitas vezes. Você irá investir centenas de horas, literalmente apostando seu tempo no sucesso do blog.

A pergunta que você deve estar se fazendo é: como vou encontrar o nicho certo?

Vou te responder com duas outras perguntas:

  • Você vai simplesmente começar a escrever, e esperar que alguém te note?
  • Ou você vai pesquisar cuidadosamente o seu nicho, procurando o ângulo certo para tornar o seu conteúdo útil dentro do seu nicho?

Eu recomendo a segunda opção… 🙂

O que é um nicho?

O nicho é basicamente o tema do seu blog. Vai definir o tipo de informações que você irá trazer para seus visitantes e sobre quais tópicos você vai escrever.

Você pode ter um nicho amplo (como esportes, por exemplo), ou um nicho muito específico (seguindo o exemplo anterior, falando sobre um time em especial) – não existe nicho “errado”, porém existe um nicho certo para você.

 O seu nicho ideal, deve interligar essas três áreas:

  • Sua paixão – Um assunto que você realmente goste e se importe.
  • Sua especialidade – Você deve ser bom nisso e saber do que está falando.
  • Viabilidade de mercado – Seu blog deve resolver problemas das pessoas.

grafico nicho

#1 – Paixão – O que te faz sair da cama pela manhã?

Vamos ser honestos, boa parte dos blogs são chatos e parecem apenas cópias uns dos outros.

Para encontrar o nicho perfeito, olhe dentro de você e se pergunte: de onde vem minha energia? Ter um blog significa que você precisa criar conteúdo regularmente sobre o seu assunto.

Pense em que assunto você teria a paixão necessária para passar anos escrevendo sobre. Algo que você realmente goste e se importe. Um tópico que engaje você emocionalmente. O que te faz querer levantar da cama para viver, todos os dias?

Escrever sobre a sua paixão faz você gostar do que está fazendo e transforma o trabalho em diversão! O sucesso pode até não ser garantido, mas é muito mais provável que você atinja o sucesso quando está emocionalmente envolvido com o seu projeto.

Agora, faça uma lista com os assuntos que você adoraria passar o tempo escrevendo sobre. Escreve lá, e volte aqui pra continuar a leitura! :p

#2 – Especialidade – Em que assunto você tem credibilidade e experiência?

Sua paixão vai te dar combustível e força de vontade no trabalho, mas isso não é tudo que se precisa. Você precisa saber do que está falando.

A sua marca vai ser a de um expert naquele assunto e seus leitores vão esperar isso de você. As pessoas prestam mais atenção em quem elas veem como experts, então foque seu conteúdo em assuntos onde você possa construir a sua marca como um expert.

Não tente ser um expert em tudo. Se você tentar escrever sobre toda ideia que pipocar na sua cabeça, seu blog não vai ter direcionamento nenhum!

Para encontrar o seu nicho você deve se perguntar: no que eu sou melhor do que os outros?

Pare pra pensar. Certamente pessoas que você conhece já se depararam com problemas que você resolveu com facilidade. Essa pode ser a especialidade que diferencia você dos outros.

Pense e escreva sobre os pontos em que você é bom, e então compare eles com a sua lista de paixões. Descreva o problema que você vai resolver, e explique porque você é melhor nisso do que os seus concorrentes.

#3 – Viabilidade de mercado – Alguém precisa desse tipo de ajuda?

Chegamos a um ponto crucial. Do que adiantaria você gostar do assunto, ser bom nisso se ninguém precisa da sua ajuda?

Já falei aqui, mas vou repetir: você não pode escrever para todo mundo.

Identifique grupos de pessoas interessadas no seu tópico – eles são seu público-alvo. Um dos maiores erros de quem está começando com blogs é criar conteúdos sobre eles mesmos, e não sobre o seu público-alvo.

A não ser que você seja interessante para eles (e isso leva um bom tempo para se construir), seus visitantes normalmente não vão querer ouvir sobre você.

Não existe amor à primeira vista nos blogs. As pessoas não querem perder tempo com alguém que eles não conhecem, falando sobre coisas que não tem relevância para eles. Eles não se importam com você, se importam com eles mesmos, com os problemas que eles têm que resolver.

Querem informação útil. Querem ser educados e entretidos. Querem respostas para as suas dúvidas. Pense no conteúdo do seu blog, como se fosse um produto que precisa suprir uma necessidade do mercado.

Me desculpe se fui um pouco duro, mas a realidade é essa.

Agora chegou a hora de você pegar aquela listinha e analisar: qual tópico que você ama, tem conhecimento e acha que tem uma demanda no mercado? Encontre algo que as pessoas já estão tentando fazer, e as ajude a fazer isso.

Olhe para a sua lista final

Agora, você deve ter se deparado com algumas ideias. Talvez você tenha uma ideia, ou talvez você tenha cinco. Não tem problema, qualquer número é ótimo. 🙂

Olhe para essa lista. Deixe ela de lado um pouco. Deite pensando nas ideias. Olhe para a lista de novo. Espere um tempo. Olhe de novo. Você sabe o que quer de verdade.

Reflita sobre os possíveis nichos para o seu blog sem tomar uma decisão precipitada, e você saberá qual nicho quer realmente seguir, ele vai ficar pipocando na sua cabeça.

Seja confiante e vá em frente!

Assim que você encontrar o seu nicho, jogue essa lista fora. Na hora! Não se dê a chance de mudar de ideia. Seja confiante e comece a escrever sobre o assunto. Escreva seu primeiro post! Quem se importa se não for perfeito no começo? COMECE A ESCREVER (se você não sabe ainda como criar um blog, dê uma olhada nesse post)!

Feito é melhor do que perfeito!

Use os comentários abaixo para compartilhar suas ideias se quiser ouvir uma segunda opinião, vou ficar feliz em ajudar. 🙂

Se inscreva na lista VIP para receber mais dicas como estas no seu e-mail, e compartilhe este post para ajudar mais gente que estava na dúvida, como você!

Um abraço!

Sabe qual a melhor plataforma para um blog de sucesso?

Tempo de leitura: 5 minutos

Wix, Blogger ou WordPress? Qual será que é a melhor plataforma?

Criar um blog é uma ótima maneira de iniciar um negócio digital, ou de ter um hobby para se conectar com pessoas.

Uma tarefa difícil pra quem está começando (foi difícil pra mim também), é a escolha da plataforma que você vai utilizar.

Afinal, ter um blog não é apenas sentar e escrever.

Para se ter um blog de sucesso existem MUITAS outras variáveis envolvidas. Neste artigo vou focar junto com você na primeira delas: a plataforma!

Se você já deu uma pesquisada rápida no Google, deve ter ouvido falar de WordPress, Blogger, Medium, Tumblr, Wix, Joomla, Drupal, Weebly…

São tantas opções no mercado atualmente ficar com dúvidas nessa hora é bem comum, e meu objetivo com esse artigo é te ajudar a fazer a melhor escolha.

A opinião que vou dar aqui não é baseada em achismos, já trabalho a 3 anos com desenvolvimento web e utilizei todas as ferramentas que analisei abaixo.

É melhor já começar do jeito certo, não acha? Então vamos ao que interessa!

Entendendo o problema

Quem pensa em crescer e ter um blog de sucesso, não pode deixar que a plataforma escolhida acabe sendo um problema no futuro.

Em muitos outros casos, eu diria que a melhor escolha é relativa, que depende de cada negócio. Porém quando o assunto é plataforma para blogs, fui fisgado por uma em especial… mas vou contar só daqui a pouco qual é! :p

Decidi falar apenas das 3 mais citadas quando alguém me pergunta sobre esse assunto: WordPress, Blogger e Wix.

Wix

plataforma-blog-wix

Wix é uma plataforma de criação de sites baseada na nuvem (jeito bonito de falar que é online), bem simples e grátis para começar. É muito usada por pequenas empresas ou autônomos, que querem um site rápido e de graça.

PORÉM, praticamente todas as funcionalidades necessárias para se ter um site decente são pagas. Tem um construtor de sites simples, que não exige praticamente nenhum conhecimento técnico do usuário.

Obviamente, é uma plataforma bem-sucedida com muitos clientes mundo a fora. Mas eu nunca recomendaria o Wix.

Não acho que seja viável em nenhum caso, nem mesmo para empresas pequenas.

Posso parecer um hater falando dessa forma, mas tem um motivo muito, mas muuito grande para que eu diga isso.

O Google não ranqueia bem sites feitos no Wix. Simplesmente isso (saiba mais sobre esse problema aqui). Não adiantaria de nada ter um site e não ser encontrado, não é?

Então bora pra próxima ferramenta!

Blogger

plataforma-blog-blogger

O Blogger é um serviço gratuito de blogs do Google. Foi muito popular na virada do milênio e até hoje oferece ótimas funcionalidades, apesar do design não ter acompanhado essa evolução.

É bem simples, você precisa apenas de uma conta Gmail para começar. É integrado com a monetização do Adsense, que foi o que atraiu muita gente pra lá alguns anos atrás.

O Blogger permite que se altere o código do site, o que é bem importante em termos de controle sobre o que seu site pode oferecer.

Parece legal né? Mas tem um probleminha. Mesmo sendo onde muitos blogueiros famosos começaram, o design do Blogger parece um pouco ultrapassado hoje em dia.

É uma opção razoável, mas ainda não é a ideal para quem pretende usar ao máximo os conceitos de marketing digital e conversão.

Recentemente muitos usuários deixaram de usar o Blogger, um deles foi Matt Cutts, “head of Google’s Webspam team” (não achei uma forma legível de traduzir esse cargo), que hoje usa WordPress em seu site.

Então, vamos ao vencedor!

WordPress

plataforma-blog-wordpres

Sim, WordPress é o meu escolhido!

WordPress é uma plataforma gratuita para criação de sites e blogs, usada em mais de 60 milhões de sites ao redor do mundo.

Pode ser instalado facilmente na sua conta de hospedagem, e as possibilidades de personalização são imensas!

Existem milhares de plug-ins e temas gratuitos (além de muitos outros pagos, mas que valem a pena) que aumentam as possibilidades da interação do seu site com os usuários – e consequentemente a sua conversão.

Talvez você já soubesse disso e precisasse apenas desse empurrãozinho pra decidir de vez qual plataforma usar.

Confesso que no começo fui um pouco cético, cheguei até a criar minha própria plataforma de gerenciamento de conteúdo (não faça isso, é perca de tempo), mas em pouco tempo o WordPress me conquistou <3.

A grande vantagem do WordPress na minha opinião, é essa possibilidade de expandir, de adicionar novas funcionalidades e poder personalizar tudo. Igual eu fiz com o Blog Machine.

Concluindo

Meu objetivo não é iludir você falando que é simples ter um blog rodando e convertendo perfeitamente, se você não tiver os conhecimentos necessários pra isso.

Mas também não precisa ser nenhum gênio conseguir. O que eu tenho pra dizer é: vá de WordPress e seja feliz!

Se você tiver alguma dúvida, poste aqui nos comentários que vou ficar feliz em te responder.

Caso você queira uma ajuda profissional na criação do seu blog, dá uma olhada na sessão de serviços aqui do Blog Machine 😉

Não se esqueça também de se inscrever na lista VIP pra receber as novidades e de compartilhar esse artigo se achou útil!

Um abraço!

Fontes:

WordPress, Wix, Blogger.

Faça sua Call to Action detonar com essas 5 dicas

Tempo de leitura: 5 minutos

Uma boa call to action é o tempero secreto para fazer seus visitantes clicarem nas suas ofertas.

Se sua call to action não consegue capturar a atenção de visitantes, e os persuadi-los a clicar, então ela não está sendo nada útil.

CTA’s podem ser usadas em páginas do seu blog, anúncios, e-mails, redes sociais e em praticamente qualquer lugar em que você queira divulgar sua oferta.

Por oferta, não digo apenas a venda de algo. Oferecer um conteúdo gratuito – como um e-book em troca do e-mail da pessoa, por exemplo – pode também ser considerada uma oferta.

Em um mundo onde muitos negócios lutam pela atenção dos consumidores, é um ponto crítico que sua oferta chame mais atenção do que a de seus concorrentes.

Nesse artigo, irei te mostrar 5 dicas de fácil aplicação que vão fazer suas CTA’s detonarem como nunca!

#1 – Coloque sua Call to Action onde seja fácil de ver

Call’s to action funcionam melhor “antes da dobra”, no espaço em que o usuário consegue ver sem rolar na página.

Em um trabalho que fiz recentemente para o evento TDC, utilizei uma ferramenta de análise de heat maps para monitorar o que podia estar quebrando a conversão de uma landing page (vou falar sobre isso em um artigo futuro).

Nessa análise, notei que tudo que ficava “depois da dobra” era visto por menos de 50% dos visitantes.

Isso é um número alarmante.

call to action topo

Sem dúvidas, dobrar o número de visualizações de sua call to action pode aumentar significativamente seu número de leads.

Porém, essa página teria convertido ainda mais se eu já soubesse a dica #2.

#2 – Seja claro na sua oferta

Novamente, esse tópico aparece nos meus artigos. Já falei sobre isso no artigo sobre formulários, mas vale a pena repetir.

Às vezes, focamos mais em usar frases inteligentes do que em ser claros.

Seja transparente como vidro sobre a oferta de sua CTA, seja específico. Assim seu visitante vai saber o que pode esperar da sua oferta, e ficar mais inclinado a clicar nela.

Se você está ofertando um guia grátis, diga “Baixe seu guia grátis para X”. Se você está oferecendo um webinar gratuito, diga “Garanta sua vaga GRÁTIS e aprenda a X” (entenda X como o benefício que sua oferta gera).

Isso é muito mais efetivo do que simplesmente dizer “Baixe agora” ou “Inscreva-se”, essas CTA’s não são específicas o suficiente, e certamente não vão fazer você se destacar.

call to action botao

#3 – Use contraste para fazer sua Call to Action aparecer

Uma call to action deve se sobressair em uma página. Se ela se misturar demais com os outros elementos, pouca gente vai notar que ela existe.

Você quer que o máximo possível de olhos percebam que sua call to action está ali, pedindo para ser clicada.

Então use cores contrastantes para sua CTA aparecer, e ainda mais importante, use o design a seu favor para fazer sua call to action parecer clicável, como mostrei com mais detalhes nesse artigo.

call to action evernote

Nessa página do Evernote de 2012 – que você pode visitar aqui – note o quão escondido está o botão de call to action para baixar o aplicativo (está no fim da parte verde, bem no meio, caso você não tenha achado haha).

Será que convertia tão bem quanto hoje? Acho que não né.

#4 – Link sua Call to Action para uma landing page específica da oferta

CTA’s devem enviar seus visitantes para uma landing page onde eles recebam uma oferta específica. Não use uma call to action para enviar visitantes a sua homepage, por exemplo.

Mesmo que sua call to action seja sobre sua marca (talvez você não esteja oferecendo nada que possa ser consumido online), ainda assim mande seus visitantes para uma página específica sobre esse assunto.

Dê preferência ao uso CTA’s que convertam visitantes em leads.

call to action landing

#5 – Páginas de obrigado são ótimas para usar uma Call to Action

Caso você não esteja familiarizado com esse termo, vou explicar brevemente.

Páginas de obrigado são aquelas páginas que você redireciona o usuário depois dele preencher um formulário.

Mesmo quando alguém já se tornou seu lead, não pare por aí.

Aumentar o engajamento deve ser uma grande prioridade sua se você quer que seus leads acabem virando clientes fiéis.

Assim que alguém chega em uma “página de obrigado”, use esse espaço para promover mais ofertas e conteúdos.

Por exemplo, se seu visitante baixou um e-book sobre Perda de Peso, na página de obrigado você pode oferecer a ele uma consultoria com preço reduzido, indicar algum artigo do seu blog que fale sobre o assunto, ou mesmo pedir que ele te acompanhe nas redes sociais.

call to action pagina-de-obrigado

A página da imagem acima é a que você vai visualizar depois que usar o formulário abaixo para entrar na lista VIP do Blog Machine :p

Concluindo

As dicas que mostrei nesse artigo são fáceis de serem aplicadas, e vão turbinar os resultados de suas CTA’s.

Fazendo um resumão do que vimos, recomendo que você anote as dicas em um papel:

  • Coloque sua call to action no topo da página;
  • Crie ofertas claras, seja direto e específico;
  • Use cores que se destaquem em sua call to action;
  • Crie páginas específicas para sua oferta;
  • E aproveite a página de obrigado para engajar seu lead;

Faça isso a partir de agora e você vai sentir a diferença!

Deixe seu comentário e compartilhe com seus amigos, seu feedback é muito bem-vindo e vai me ajudar a trazer conteúdos cada vez melhores! 🙂

Um abraço!

Formulários: 4 Dicas Rápidas para turbinar sua conversão

Tempo de leitura: 5 minutos

Você sabia que os formulários das suas landing pages podem estar espantando seus leads?

Formulários são uma peça fundamental de uma landing page. É através deles que coletamos os dados de nossos visitantes em troca de uma oferta ou isca digital, transformando assim nossos visitantes em leads.

Meu objetivo com esse artigo, é te dar dicas simples e eficientes de como melhorar a conversão de seus formulários a partir de agora!

No post anterior, já falamos sobre como podemos melhorar nossas landing pages. Mas não adiantaria de nada fazer aquela landing page caprichada, se nosso visitante chega lá e corre da nossa página quando vê o formulário né?

Então, bora botar pra converter? 😀

#1 – Formulários do tamanho certo

Você já deve ter ficado em dúvida sobre quais dados deveria pedir em um formulário. E realmente não existe uma resposta certa pra isso, varia de negócio para negócio.

Porém, uma coisa é certa: Peça apenas as informações que você REALMENTE precisa!

É sério, não exagere nos campos. Pare pra pensar um pouco em suas experiências passadas. Aposto que você já chegou em algum formulário e desistiu quando viu a quantidade de campos.

Quanto menos campos você tem em um formulário, maiores são as chances de você receber conversões. Grave isso na memória.

Isso acontece porque a cada novo campo que você adiciona ao formulário, é um trabalho a mais para o seu visitante, assim ele provavelmente vai acabar desistindo. O que vai ocasionar menos conversões.

Porém por outro lado, teoricamente quanto mais informações você pede, maior vai ser a qualidade desses leads para você, porque você vai saber mais sobre eles, e assim poderá bolar uma estratégia mais elaborada.

Por isso, é sempre bom analisar bem quais dados são realmente relevantes, e não pedir nada que não seja essencial para a sua estratégia.

formulários-poucos-campos

Agora me diga, qual dos dois formulários acima você preencheria? Nós dois sabemos a resposta (pode parecer exagero, mas já vi um formulário desse tamanho pra baixar um e-book).

#2 – Mensagem clara no botão

Uma das melhores formas de aumentar a conversão de um formulário é simplesmente NÃO USAR aquela palavra padrão que vemos em formulários por aí, “Enviar”.

Se você parar pra pensar, ninguém quer “enviar” nada. Ao invés disso, transforme essa mensagem em uma forma de mostrar o benefício que a pessoa vai ter ao enviar seus dados pelo formulário.

Por exemplo, se esse seu formulário tem como objetivo entregar um e-book sobre emagrecimento, o botão de envio deve dizer “Eu quero emagrecer agora”, ou “Quero meu e-book!”, e por ai vai.

Um exemplo é o formulário de captação de leads que você vai ver no final desse artigo.

formulários-mensagem-do-botao

Outra dica muito útil que já foi tratada nesse outro artigo, é criar um botão grande, colorido e usando uma fonte forte. Faça ele realmente se parecer clicável.

#3 – Crie autoridade com uma prova social

Hoje em dia as pessoas têm uma certa resistência a fornecer seus dados a alguém, principalmente pelo grande número de fraudes que vem acontecendo na internet.

Porém, existem alguns elementos que você pode adicionar ao seu formulário ou landing page que vão ajudar seus visitantes a confiarem em você e informarem seus dados:

  • Adicione uma mensagem de privacidade (ou um link para sua política de privacidade) que indique que o e-mail de seu lead não será compartilhado nem vendido.
  • Se seu formulário precisa de informações confidenciais, como CPF, etc… considere colocar algum certificado de segurança em sua página, para que seus visitantes saibam que estão em uma página confiável.
  • Adicionar depoimentos ou logos de clientes é outra grande forma de indicar prova social. Por exemplo, se você está tentando vender algo, será muito útil colocar um depoimento de algum cliente que já usa seu produto/serviço.

formulários-depoimentos

Seus visitantes vão sentir mais segurança no que você está prometendo, e consequentemente suas conversões irão melhorar 🙂

#4 – Faça o formulário parecer menor

Como já mencionei antes, algumas vezes as pessoas não vão preencher um formulário só porque ele é um pouco grande.

Mas, se no seu caso você precisa de alguns campos a mais, tem uma sacada que pode fazer seu formulário parecer um pouco menor, apenas ajustando o estilo.

Você pode reduzir o espaço entre os campos, ou colocar a descrição do campo dentro deles mesmos ao invés de colocar acima.

formulários-menor

Se o formulário ocupa menos espaço na página, automaticamente vai parecer que você está pedindo menos informações.

Apenas essa mudança no design do formulário já fez ele parecer menor do que realmente é, e deve te ajudar a converter alguns leads a mais.

Concluindo

A geração de leads pode turbinar seu negócio online, e otimizar seus formulários para que convertam mais já é um ótimo começo.

Mas isso é apenas o início. Nesse artigo tentei passar algumas dicas básicas que vão te ajudar de verdade, mas são só a ponta do iceberg.

Existem muitas outras técnicas e boas práticas para melhorar ainda mais a sua conversão, e meu objetivo é continuar repassando elas a você.

Então, deixe seu comentário, compartilhe com seus amigos e se inscreva para receber as novidades em primeira mão! 🙂

Um abraço!

7 dicas certeiras para criar páginas que convertem

Tempo de leitura: 7 minutos

Saiba como criar páginas que convertem

Vou mostrar a você 7 dicas certeiras (pra não dizer infalíveis) que se aplicadas corretamente em suas landing pages, vão aumentar e MUITO a sua conversão… e você pode criar páginas que convertem a partir de agora!

Essas técnicas são aplicadas por praticamente todos os empreendedores digitais bem-sucedidos e são comprovadamente poderosas para você converter visitantes em leads, e parar de perder tráfego.

Você sabe o que esses Gurus do marketing digital fazem melhor do que os outros? Eles capturam a atenção das pessoas.

Essa é uma ótima habilidade para se ter na era em que vivemos, onde informações (e distrações!) pulam na nossa frente a todo momento.

Segundo Oli Gardner, quando falamos de marketing temos 3 aspectos da atenção em que devemos focar:

  1. Capturar a atenção (esse é o trabalho das headlines)
  2. Manter a atenção (sua landing page faz isso ao cumprir a promessa da headline)
  3. Atenção focada (esse é o propósito de sua landing page, e o meu objetivo nesse artigo)

Atenção é um recurso mental limitado

Suas reservas de energia mental diminuem toda vez que você precisa tomar uma decisão, mesmo que ela seja pequena.

Sempre que você coloca um banner extra, ou um link desnecessário no seu site, você está arriscando diminuir esse precioso repositório de atenção dos seus visitantes, o que com o tempo vai reduzir a probabilidade de eles tomarem a decisão que você gostaria que eles tomassem.

Não precisa ser um expert pra aplicar essas técnicas, o único pré-requisito é: ter vontade de aprender.

Se a falta de atenção dos visitantes é seu inimigo, então o design focado em conversão é o herói dessa história, lutando contra um exército de objetos reluzentes que tentam roubar a atenção do que realmente importa!

Então, se você quer parar de perder dinheiro com campanhas que não geram leads, ou parar de não converter visitantes orgânicos em e-mails na sua lista, leia as dicas abaixo e comece a aplica-las no seu negócio. 🙂

O Design Focado em Conversão é uma adesão de princípios visuais utilizados para reduzir a complexidade visual e aumentar as chances de compreensão.

Cada um dos 7 princípios pode nos ensinar algo sobre como comunicar nossa mensagem corretamente de forma visual.

Então, bora converter!

Principio #01 – Clareza

É um conceito simples, porém muito negligenciado. Steve Krug, autor de Don’t Make Me Think define esse conceito como:

“O visual do objeto deve sugerir como devemos usá-lo. Por exemplo, botões com estilo 3D nos fazem saber claramente que foram feitos para serem clicados”.

dica-01 páginas que convertem

Como você pode ver, o primeiro botão tem uma sombra que cria um efeito “clicável”. O segundo botão é liso, porém arredondado, fazendo ainda se parecer com um botão. O terceiro exemplo se parece mais com uma caixa, e o último é apenas um texto, que não parece clicável de jeito nenhum.

Se você quer que seu visitante faça algo, deixe isso bem claro.

Principio #02 – Contraste

Algumas pesquisas mostram que botões vermelhos geram mais resultados em CTA’s. Maas… será que é a cor mesmo que importa?

A razão pela qual determinada cor vence nos testes é porque ela ficou em contraste forte com a cor de fundo da página. É isso. Sim, é simples assim.

Não é uma reação emocional, é uma reação baseada na maior chance daquele botão ser notado.

Olhe a imagem abaixo. A página tem a cor azul como dominante. Se o círculo laranja também fosse azul, ele ainda iria chamar a atenção? Não, é claro que não!

dica-02 páginas que convertem

É também importante notar que estatísticas mostram que aproximadamente 8,5% da população masculina mundial apresentam deficiência na percepção de cores, o que faz o contraste ser mais importante do que a própria cor.

Principio #03 – Aninhamento

Você deve conhecer esse conceito através de marcadores de lista em documentos, ele é muito útil, principalmente se você tem uma lista longa de benefícios em sua página.

dica-03 páginas que convertem

Você pode adicionar clareza, reduzir o tempo de compreensão e aplicar ênfase adicionando hierarquia como uma forma de identação. Isso também tem o efeito de melhorar a relação entre dois pontos diferentes.

O efeito de proximidade também mostra que os elementos aninhados (esses com espacinho antes) são relacionados – e subordinados – ao elemento superior.

É fácil de escanear com os olhos uma lista aninhada e ler somente aquilo que nos interessa.

Principio #04 – Distração

Essa é fácil. Passe um momento encarando a imagem abaixo e me mande um e-mail para ronaldo@blogmachine.com.br se você descobrir em qual objeto deveria estar prestando atenção.

dica-04 páginas que convertem

Você sabe onde deveria clicar? Eu acho que não.

Se existem muitas opções em sua página, as chances dos seus visitantes verem o que você quer que eles vejam é diminuída na mesma proporção das distrações que existem nessa página.

Ok, isso ficou confuso. Resumindo: menos distração é igual a mais foco (isso vale pra você também!).

Às vezes, omitir os links de navegação do seu site, ou tirar os botões de compartilhamento, podem aumentar e muito as chances de conversão.

Principio #05 – Simetria

Simetria está fortemente relacionada com a beleza. Percebemos uma maior beleza em elementos simétricos.

dica-05 páginas que convertem

Esse tipo de elementos nos permitem uma leitura mais descansada, não precisando interpretar uma página bagunçada.

Principio #06 – Alinhamento

O alinhamento pode ser visto de duas maneiras:

Primeiro, como um conceito que busca conectar os elementos da página com um único objetivo. Segundo, pelo puro aspecto visual de alinhamento.

dica-06 páginas que convertem

Alinhamento é a maneira mais fácil e rápida de transformar um design bagunçado em organizado, enquanto adiciona clareza visual e uma sensação de bem-estar. Isso pode soar um pouco “yoga”, mas é verdade.

Quando comparamos um design bagunçado com um organizado, vemos claramente a diferença visceral que existirá na conversão.

Principio #07 – Repetição

Por último, mas não menos importante, vem a repetição.

Na música, a repetição de rimas ou batidas pega como chiclete. A maneira mais fácil de explicar isso que eu disse agora, é ouvir uns 10 segundos da música “Never Getting Back Together”, da Taylor Swift.

Clique aqui e preste atenção no que ela canta nos 0:42

São dois exemplos de repetição.

O primeiro é a repetição das palavras “never ever ever”, onde a ênfase é no som de “ever”, mas o segundo exemplo é ainda mais forte, onde é cantada repetidamente a palavra “talk”, “You go talk to your friends, talk to my friends, talk to me”.

Ouça com atenção e você vai ver o que estou dizendo. Isso cria um foco realmente forte na música devido a repetição de palavras e a ênfase dada a elas enquanto são cantadas.

Você provavelmente está se perguntando: O que isso tem a ver com o design de uma página?? Deixa eu te explicar.

“A repetição pode ajudar a chamar atenção para elementos importantes da sua landing page.”

Se tiver alguma dúvida, dá uma olhada na quantidade de visualizações daquele vídeo.

O exemplo mais óbvio da repetição em landing pages é um grupo de marcadores de itens. É fácil de fazer, e efetivo.

dica-07-páginas que convertem

A repetição pode trazer sentimentos de familiaridade do visitante com sua página, que vão melhorar a compreensão do conteúdo e a impressão do usuário sobre sua marca.

Concluindo

Primeiramente, obrigado por ler até aqui. Espero que essas dicas realmente te ajudem a obter melhores resultados em suas páginas!

Posso te pedir um favor? Deixe seu comentário abaixo, vou ficar felizão de saber a tua opinião sobre o texto e ainda vou poder melhorar e focar no que vai te ajudar mais. 🙂

Se inscreva e faça parte do grupo de pessoas que estão construindo suas máquinas de venda online para receber dicas de conversão em primeira mão… e compartilhe com seus amigos para que essas dicas ajudem mais gente!

Um abraço!